Coquetel Molotov

Destaque Notícias

AUTORAMAS CARAMELIZADO E COM FLOCOS CROCANTES

Por Tathianna Nunes

“Música Crocante” é o nome do quinto disco de estúdio em 11 anos de carreira da banda Autoramas. O disco foi lançado recentemente pelo selo Coqueiro Verde, o mesmo que lançou os novos trabalhos de Karina Buhr, Mundo Livre S/A e uma série de bandas maravilhosas.

O nome escolhido para batizar o trabalho do Autoramas caiu como uma luva – recheado de riffs crocantes, como se fosse um biscoito recheado. O trio carioca brinda o rock brasileiro com uma deliciosa mistura de surf music, new wave, entre outras influências. Conversei com Gabriel Thomaz, vocalista do grupo, que contou como foi gravar e produzir o disco com ajuda dos fãs, via crowdfunding, o novo patrocinador da vez.

Nesse tempo todo de banda, qual é aquela influência que se mantém firme e forte com vocês?
Nesses últimos tempos aconteceu uma coisa engraçada com a gente. Quando a gente formou a banda, pensamos em juntar várias coisas, que a gente curtia (tipo: baixo com distorção, timbres de guitarra diferentes do que tava rolando – tremolos, vibratos, filtros e não aquela distorção q já estava ficando batida – além de batidas dançantes de bandas como o B-52’s) e foi isso q acabou resultando no som do Autoramas. Quando começamos a ter destaque nos shows fora do Brasil, os gringos começaram a dizer q essa mistura era muito original e única. E a gente, q tinha acabado de sair de um projeto acústico q era totalmente diferente de tudo q a gente já tinha feito, ouvindo o q essa galera tava falando e com a auto-estima da banda num momento maravilhoso, ficamos com vontade de reafirmar isso tudo. E deu muito certo 🙂

Vocês já estão planejando cair na estrada novamente com este disco?
Já estamos fazendo um monte de shows.

Vocês já trabalharam com o Fora do Eixo? Como foi esta experiência para vocês?
Já fizemos um monte de coisas com o Fora do Eixo. Vi o lance nascer lá em Cuiabá e a primeira banda que o então Espaço Cubo levou de fora da cidade foi o Autoramas. Acho que foi em 2003… Até participei de debates no Congresso que rolou agora no final do ano. Acho que é um projeto muito interessante, que já teve muitos acertos e também muitos erros. Tem gente legal que trabalha com eles. É isso q eu acho legal: o trabalho. Ações. Tem gente que fala e tem gente que faz.

Este novo trabalho do Autoramas contou com financiamento via crowdfunding. Muita gente participou? O que cada um que participou ganhou como recompensa?
Foram 149 pessoas participando, e com recompensas variadas, mas todo mundo ganhou o CD autografado e com seu nome nos agradecimentos. Teve gente que comprou um tipo de cota que era uma minicoleção de vinis retirada das nossas coleções pessoais. Curti muito ter feito isso.

Este financiamento foi essencial para lançar este novo trabalho?
Foi, porque não tínhamos quem bancasse a gravação, mixagem e masterização… As cotas que a galera comprou viabilizaram a produção do disco e acabou ficando do jeito que a gente queria. Na minha opinião é o melhor disco que já lançamos.

Qual o principal tema do disco?
Não sei se há um tema principal… Acho que está bastante variado. Tem desde música sobre meditação até a despedida de um amigo. E tem também as instrumentais, assim como todos os nossos outros discos, nunca pode faltar. Com as instrumentais desse disco, conseguimos completar um repertório inteirinho instrumental para um show que temos feito de vez em quando.

Qual é a melhor hora para se escutar este novo disco do Autoramas?
Acho que é bom pra ouvir nas mais diversas situações. Dirigindo combina bastante: velocidade e diversão. Com os amigos tomando uma cerveja também já testei e aprovei. E por que não numa viagem? Mas, assim, cá entre nós, numa opinião pessoal… acho que fica bem mesmo com o som bem alto numa pista de dança.

Autoramas é uma banda guerreira. Vocês poderiam dar algumas dicas e estratégias para quem procura sobreviver no mercado da música?
Essa é uma pergunta muito polêmica, porque na verdade nós só estamos fazendo o que gostamos e dando um jeito de viabilizar. Se tudo isso não fosse divertido, eu já teria partido pra outra há muito tempo. As nossas estratégias são fazer o que mais gostamos: tocar, viajar, encontrar os amigos, conhecer o mundo, tirar uns sons esquisitos dos instrumentos e fazer umas músicas que a gente acha legal. Adoramos nos juntar e ensaiar, fazer show. É claro que é importante saber cuidar das contas e tal, mas isso não é privilégio de um projeto musical.

Música é?
Uma coisa que não conseguimos viver sem.


PROMOÇÃO – MÚSICA CROCANTE
Concorra a uma cópia de “Música Crocante” em um CD autografado pela banda. Para isso, basta twittar Quero ganhar o CD Música Crocante do @autoramas na promoção do site @noarcm – http://wp.me/p1MMWD-ko. Só lembrando que é preciso seguir também o nosso perfil para entrarmos em contato por DM assim que sair o resultado. Boa sorte! A promoção vai até o dia 31 de janeiro!

Nenhum comentário

Deixe um novo comentário