Coquetel Molotov

Destaque Notícias

DATA SIM INVESTIGA PERFIL E DESAFIOS DAS MULHERES NA INDÚSTRIA DA MÚSICA NO BRASIL

Onde estão as mulheres do mercado da música? Como elas se enxergam em cinco anos? Essas e outras reflexões sobre a participação feminina no universo musical serão investigadas com a nova pesquisa do DATA SIM: “Mulheres na Indústria da Música no Brasil: Obstáculos, Oportunidades e Perspectivas”.

A coleta de dados teve início na terceira edição da conferência Women’s Music Event (WME), em março de 2019, e continuará até o final do ano. Os resultados serão apresentados na sétima edição da SIM, que acontece entre os dias 4 e 8 de dezembro, e disponibilizados gratuitamente em datasim.info.

“É fundamental a gente ter uma base de dados que entenda a relevância e a participação da mulher no mercado da música. A mulher está presente em toda a cadeia produtiva, mas em boa parte dela, essa presença ainda é totalmente invisibilizada, como nas áreas técnicas”, comenta Claudia Assef, jornalista, produtora, DJ e idealizadora do WME.

Este é o primeiro estudo sobre a participação feminina no mercado da música brasileira e é compatibilizado com a pesquisa “Women In The U.S. Music Industry: Obstacles And Opportunities” do Berklee College of Music e Women in Music (WIM), que escutou 2000 mulheres em 2018 para entender o cenário nos Estados Unidos.

“É importante ter dados compatíveis com os da pesquisa norte-americana para podermos entender as diferenças e semelhanças dos dois mercados. Isso pode embasar a criação de projetos e iniciativas de colaboração internacional que apóiem e que desenvolvam programas de incentivo às mulheres no mercado da música”, afirma Fabiana Batistela, diretora da SIM São Paulo e do DATA SIM.

“A iniciativa da SIM de promover uma pesquisa para mapear o mercado é importantíssima. Precisamos saber onde estamos para podermos promover as mudanças necessárias a médio e longo prazo. Conheço várias mulheres executivas que passaram a vida por trás de grandes executivos no mercado. Está na hora dessas mulheres ocuparem seus lugares e darem suporte às outras mulheres para crescerem em suas posições. A participação de todas é urgente e necessária”, completa Guta Braga especialista em gestão de direito autoral e membro do WIM Brasil.

O levantamento também será utilizado para produzir um diagnóstico inicial sobre o mercado brasileiro, a fim de alimentar com dados confiáveis a recém-lançada rede SatéliteLat de mulheres na indústria da música latino-americana.

Desde 2015, a SIM São Paulo adotou como critério a equidade de gênero tanto nas atividades do evento (showcases, palestras, etc), como nas equipes de produção, curadoria e direção que atuam durante o ano todo. Com o esforço de incluir as mulheres como protagonistas de sua programação e realização, a SIM vem notando um aumento significativo da participação feminina, não apenas na feira, mas também no mercado de trabalho em geral.

A partir dessa percepção, surgiram as perguntas que norteiam esta pesquisa. A ideia é a de que, nos próximos anos, o DATA SIM possa avaliar se esses cenários se realizaram e quais as principais dificuldades das mulheres nessa trajetória profissional.

A coleta de informações para a pesquisa “Mulheres na Indústria da Música no Brasil: Obstáculos, Oportunidades e Perspectivas” está sendo feita em questionário online, abrangendo respondentes de todo o Brasil.

Nenhum comentário

Deixe um novo comentário