Coquetel Molotov

Destaque Notícias, Notícias

O QUE O SEU VIZINHO ANDA OUVINDO?

Por Laís Eiras

Já sei que a resposta não vai ser das melhores. Esses dias, não sei o que se passou, mas foi um festival de amigos reclamando do som dos vizinhos no Facebook. Era axé, funk, sertanejo e todo o tipo de lixo musical invadindo à força as casas dos meus amigos e duvido que isso nunca aconteceu com você. Música boa nunca é ouvida no volume máximo. Ou vai me dizer que você já acordou às 5 da manhã com uma canção de Chico Buarque no “talo”?

Ah tá que seu vizinho não te deixa dormir porque a coletânea do Tom Jobim não deixa… Mas, de forma absolutamente involuntária, já sabemos da fugidinha do Michel Teló e do sofrimento do Fernando Sorocaba (ops! São dois, né?) porque a namorada foi embora pra Madrid (fez ela muito bem).

E como tudo nessa vida é analogia do micro para o macro universo e vice versa, o mesmo acontece entre nós e os países vizinhos da América Latina. Todo mundo já sabe que a Shakira tá loca loca loca e que a praia de Luis Miguel se veste de amargura hoje porque a barca da menina vai partir (reparou que elas sempre fogem?). Mas, infelizmente, muita coisa boa não chega até nós, sejam os tais resquícios da colonização, sejam barreiras da língua (hipótese meio fraquinha, na minha opinião), seja puro preconceito mesmo. Há quase um ano, busco fazer a minha parte para tentar romper um pouco essas barreiras e mostrar o que a gente anda perdendo ao não dar ouvidos aos nossos vizinhos latinoamericanos. Então, você aí que está lendo, vai conhecer agora algumas das bandas hermanas que vem fazendo um bom barulho nos últimos tempos. Eu te convido a dar um rolê na vizinhança. Pegue seu passaporte (ops! pra alguns países, nem precisa) e vem comigo! 🙂

Hablan Por La Espalda
Amaldiçoados desde o início destes 17 anos de carreira, o septeto uruguaio passa por um momento de amadurecimento musical. Ícones do hardcore latino nos anos 90, apresentaram em 2009 a Macumba exorcizante, resultado de uma mescla de novas influências e um dos discos mais elogiados daquele ano.

Por essas bandas, ainda vale conferir o som do Revolver e do Santa Cruz.

Ases Falsos
Os queridinhos da cena chilena, após uma apresentação memorável no Lollapalooza local, decidem acabar com a antiga banda e começar uma nova, curiosamente com os mesmo integrantes, inclusive o mesmo guitarrista rocker até a alma e o mesmo vocalista de carisma incomparável. O quarteto promete canções em português no próximo trabalho.

O Chile está num momento super fértil quando o assunto é música boa. Conheça também o trabalho solo do Oddó, baixista da Francisca Valenzuela, e da diva chilena Javiera Mena.

V For Volume
Hard pop? Power pop? Pop “pesado”? Rock “suave”? A infindável tentativa de classificação dos gêneros musicais atinge o som do V For Volume e continua sem uma resposta, o que torna ainda mais interessante o som do quinteto colombiano. A voz da cantante Maria Jose é um show a parte.

Por lá também fazem um barulho bacana o trio Milmarias e os já conhecidos Bomba Stereo.

Cosmica
Pop eletrônico guatemalteco da maior qualidade. Despretensioso e simples. Abrem portas para uma nova geração de música independente chapín.

Ainda na Guatemala, não deixe de conhecer o ska do Malacates e o stoner rock veterano do Viernes Verde. Agora, se você quer dar uma “geral” na cena guatemalteca, não pode perder o Alternativa , documentário sobre a história do rock no país.

Pateón Rococó
Veteranos do ska/reggae mexicano, tem turnês garantidas por EUA e Europa uma vez por ano. Alternam temas suaves como amores não correspondidos (e correspondidos também), e engajamento político. Como disse o apresentador Alejando Franco “é uma banda que não fica calada” diante de injustiças sociais.

Un poco más de buena musica mexicana; a voz doce de Carla Morrison e o “acid funk” de Los Musicos de Jose.

É claro que esta lista não pretende ser um top five de melhores bandas latinas. Inclusive, tem muito de gosto pessoal nela. Espero que seja, ao menos, um ponto de partida para que as janelas se abram, fazendo o som da vizinhança chegar um pouco mais perto, e que desperte no leitor a curiosidade de viajar pela diversidade musical da América Latina. Acredite, é um caminho sem volta 🙂

* Apaixonada por um monte de coisas, entre elas a música independente latino americana, Laís Eiras escreve a coluna semanal “Yo No Hablo Su Lingua” no blog da Identidade Musical para comentar as descobertas neste ramo, assim como para dar um show de seu bem escrito portuñol 😀

06 comentários

  • Gostei do ponto de vista!!!

    Marly 22.08.2011 10h26
  • Legal, Marly! Espero que curta as bandas! 🙂

    Laís 22.08.2011 11h17
  • Laís, vc é a personificação da vanguarda pensante da política e da cultura latino-americana, e pra quem pensa que isso é papo de intelectualóide, vai estudar a carreira do Paralamas do Sucesso.
    Seu trabalho contribui muito pra deixarmos de ser idiotas consumidores ex-colonos e tentarmos ser, defato, a grande nação que deveríamos ser, não precisamos de copa do mundo super-faturada, precisamos de auto-estima e culhões, coisa que nossos hermanos tem de sobra pra nos ensinar =P
    Parabéns!!!

    Bola 22.08.2011 04h22
  • Nossa, Bola! Adorei! 🙂

    Laís 23.08.2011 05h55
  • PUTZ, ACORDAR COM CHICO BUARQUE DEVE SER HORRÍVEL..

    Prazeres 29.08.2011 09h39
  • Laís, amei você.

    Paco Sobral 09.01.2012 10h56

Deixe um novo comentário