BETINA APRESENTA FEAT COM BOOGARINS EM “POLAROIDS”

Criada numa tarde de jam, a letra de “Polaroids” é mais uma composição que nasce da parceria Betina e Dinho (Boogarins) e traz o feat do Boogarins. Primeira produção do músico, feita em parceria com Diogo Valentino e co-produção da própria, a faixa, que já está nas plataformas digitais e em videoclipe, narra a dinâmica desta troca assumindo o mergulho no outro e a vontade de conhecê-lo, de apreciar e se comover com o outro a ponto de até exagerar como cantado em “eu quero ir fundo furtar com do teu sentir”.
 
“É uma oportunidade e um privilégio poder dividir meu som com essas pessoas das quais sou fã, fazer de uma forma livre e com tanta sintonia como é compor com o Dinho é um exercício de troca para vida, poder ouvir dele o que funciona com aquela frase que escrevi e também por falar o que penso, o que sinto. Se um dia escolhi fazer música foi por conta dessa verdade nua e crua que se choca com a verdade do outro, dessa dança das subjetividades que só o fazer da arte traz”, complementa Betina.
  
Polaroids foi feita aos pouquinhos, em pedaços, crescendo cada vez mais a cada ideia que chegava. Hoje em dia escutando ela pronta percebo como esse fator do processo atravessou toda a essência da música, nessa coisa dela ir crescendo, camada em camada, somando força pra perder um sentido único e se espalhar na percepção de quem escuta e sente a canção. A música existiu muito tempo como uma demo eterna de um dia em que a Betina chegou cantando alguns versos, eu somei melodia e umas palavras e o Diogo tocou um loop de bateria que já deu uma cara pra coisa. Depois disso Ynaiã regravou o loop, o Raphael gravou uma linha de synth bass e o Bonifrate um groove de baixo, fechando uma onda de ‘preguiça gostosa’.”, destaca Dinho.

“Para o clipe de Polaroids, misturei técnicas de textura em pintura em papel com o digital,  como a cabeça gigante feita por Davi Cananéia, um artista fantástico de Paraty, inspirada no filme Frank, que traz essa aura diy, além de desenho sobre vídeo frame-a-frame. Também explorei algumas técnicas de CRT ou VHS e cheguei a esse resultado. A ideia era cada personagem sozinha no seu “mundo estético” trazendo o elemento da troca diretamente com o espectador”, pontua Betina.
 
A faixa também já chega ao mundo com o seu registro audiovisual, com a direção do clipe e de arte da própria artista. A música traz Dinho na guitarra, Ynaiã no beat e Fefel no synth, além das participações especiais de Bonifrate no baixo e Jojo Augusto da Silva (Tagua Tagua/Filipe Catto) na guitarra.